Qualisan implanta terceira nova franquia de 2019, no Rio de Janeiro

By | Sem categoria | No Comments

Depois de Petrolina (PE) e Palmas (TO), em fevereiro, mais uma nova franquia da Qualisan Consultoria Sanitária começou a operar, desta vez na zona sul do Rio de Janeiro. A administradora e técnica em Nutrição Renata Lindholm Mansilha Mello encontrou, na estrutura oferecida ao franqueado Qualisan, a oportunidade de atuar em um mercado carente de consultoria técnica mesmo numa grande capital, como a fluminense. Com o sócio Rachid de Aguiar Filho, ela enxerga um futuro promissor para a atuação na área mais nobre da cidade maravilhosa.

“Foi pesquisando na Internet sobre as possibilidades de atuação no mercado, que encontrei a Qualisan”, conta Renata, revelando que – na ocasião – nem pensava na possibilidade de investir numa franquia. Ao conhecer o trabalho da Qualisan, porém, ela se convenceu de que, como franqueada, poderia contar com todo o know-how que buscava para atuar na área de consultoria sanitária.

Além disso, Renata diz que o potencial do mercado de restaurantes, padarias, bares e outros estabelecimentos do setor também foi decisivo para que ela se tornasse uma franqueada. “Vamos atuar na Zona Sul do Rio de Janeiro, que é a principal região turística da cidade, onde ficam praias como Ipanema e Copacabana, ou seja, no lugar que é a janela do Rio para o mundo e por isso é alvo frequente de fiscalizações”, salienta.

O sócio, que é responsável pelo setor comercial da franquia, também está animado. “Recebemos um suporte extremamente completo e profissional da Qualisan, com um treinamento que nos deixa confiantes quanto à forma de abordagem dos clientes. Por isso não temos dúvidas de que teremos muito sucesso na prestação dos serviços”, destaca Rachid. Ele salienta que, quando começou a ir a campo, percebeu o quanto os empresários do setor de alimentação estão carentes de um suporte especializado para atender às exigências técnicas e sanitárias.

Um exemplo dado por ele é uma rede de supermercados, que irá iniciar os trabalhos com a Qualisan, que não conta com um serviço de consultoria e já sofreu muitas penalidades por estar fora dos padrões de qualidade. “Percebemos, em outros estabelecimentos, que os empresários tem dificuldades para treinar seus funcionários com boas práticas que fazem toda diferença não só na hora de evitar multas mas também de satisfazer os clientes”, ressalta.

Esse ponto também foi observado por Renata. “O dono de um restaurante, por exemplo, normalmente é um empreendedor que não tem conhecimento sobre todas as questões burocráticas que precisa atender”, diz. Ela comemora que, já na primeira semana de visitas, conquistou seus primeiros clientes. “Acreditamos que será um trabalho extremamente promissor”, finaliza.

Qualisan Consultoria chega à Palmas-TO

By | Sem categoria | No Comments

Franquia inicia trabalhos na Capital do Tocantins; qualidade e padrão nos serviços serão os mesmos já aplicados em todas as unidades da Rede

 

Os serviços da Qualisan Consultoria vêm se consolidando em cada vez mais territórios brasileiros. Desta vez, a marca chega à Capital do Tocantins, região Norte do País. A franqueada que responderá pela unidade será a Engenheira de Alimentos Aline Luz e Silva, que iniciou sua jornada empreendedora com a aquisição da franquia.

Aline, que já atuava no segmento, enxergou na franquia Qualisan uma oportunidade para continuar no mercado, mas agora sob uma nova ótica: com um negócio próprio. “Foi um desafio e tanto. Com a Qualisan, estou muito mais respaldada, pois é uma marca consolidada. Isso conta muito, desde a captação de clientes até o suporte técnico e administrativo que estou tendo”, conta.

Para a nova franqueada, Palmas possui extenso potencial de mercado, com uma grande gama de supermercados, comércios e hotéis. “As perspectivas são ótimas. E a equipe da Matriz está me dando muita segurança, me acompanhando e me orientando passo a passo”, diz Aline.

Para a unidade de Palmas, os serviços da Qualisan Consultoria estarão disponíveis com toda tecnicidade e qualidade já características da Rede. E nesta fase de implantação, Aline estará à frente das contratações e capacitações dos profissionais que irão compor a equipe.

“Tem sido um aprendizado incrível. Além da parte de vendas, a Qualisan também está nos respaldando com o fornecimento de programas e softwares que nos auxiliam no trabalho”, relata Aline.

Para o contato com a franquia de Palmas, o telefone é (63) 9-9206-7231.

Petrolina agora tem franqueada Qualisan

Região de Petrolina, em Pernambuco, ganha franqueada Qualisan

By | Sem categoria | No Comments

A Qualisan Consultoria chega, nesta semana, a mais uma região do país. Uma franquia é implantada em Petrolina, no estado de Pernambuco, onde a engenheira de alimentos Priscila de Souza Horácio enxergou um grande potencial para o serviço de consultoria sanitária. Carioca, ela vive na região há dois anos e prevê um bom fluxo de clientes interessados em melhorar suas práticas seja no atendimento às regras dos órgãos fiscalizadores, seja no treinamento de seu pessoal.

“Durante 10 anos trabalhei em uma multinacional no setor de auditoria, então eu era a pessoa que cobrava o cumprimento das normas em estabelecimentos de toda a América Latina, onde sempre percebi a necessidade de uma orientação técnica especializada para o atendimento das exigências”, conta Priscila.

Em Petrolina, inicialmente a intenção da engenheira de alimentos era prestar consultoria nesse setor como autônoma para pequenos estabelecimentos, até que ela conheceu a Qualisan.

Foi pela internet, no site da Qualisan Consultoria Sanitária, que ela descobriu a possibilidade de investir numa franquia com estrutura preparada para oferecer serviços com alto padrão de qualidade e todo o suporte de quem tem experiência na área. “Quando vi que a Qualisan já possui todo um ‘know-how’ nesse segmento, percebi que – como franqueada – eu poderia desenvolver de forma mais estruturada o trabalho que eu pretendia oferecer como autônoma”, destaca ela.

Petrolina, no interior de Pernambuco, a 712 quilômetros a oeste da capital Recife, tem cerca de 343 mil habitantes, sendo o quinto maior município do estado e o segundo do interior pernambucano, atrás apenas de Caruaru. Por pertencer à Mesorregião do São Francisco, Priscila enxergou na região de Petrolina um grande pólo para atuação de um serviço de consultoria em segurança alimentar.

“A presença do Rio São Francisco, que tem todo um projeto de irrigação, faz com que muitas pessoas aqui em Petrolina e também em Juazeiro trabalhem na área agrícola com produtos como uva, laranja, água de coco, inclusive para exportação”, diz a nova franqueada Qualisan.

Foi a partir de um contato do Sebrae, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, que ela observou a ausência de uma empresa de consultoria especializada para atender essas pequenas fábricas que precisam de regulação não só para fornecer para distribuidores locais quanto para exportar. “Não só na parte de documentação, mas também nas práticas do que pode ou não ser feito para atender a legislação e os pedidos específicos de um comprador, essas empresas precisam de orientação”, afirma Priscila, lembrando ainda que o treinamento de funcionários, as ferramentas que podem facilitar a melhoria dos serviços no dia-a-dia e todo o suporte que vai oferecer aos futuros clientes – por meio da Qualisan – são essenciais naquela região.

“Estou muito animada porque, nessa semana de implantação, encontramos muitos interessados pelo serviço especializado de consultoria que não se encontra por aqui. Sem dúvidas a Qualisan vai fazer diferença nesse importante pólo alimentício do nordeste do Brasil”, finaliza.

Para saber como se tornar um franqueado Qualisan, clique aqui.

Quando a fiscalização bate à porta

By | Dica técnica, Legislação | No Comments

O que fazer quando os órgãos de fiscalização chegam ao estabelecimento comercial para visitas de verificação

 

Durante o cotidiano de um estabelecimento comercial que vende algum tipo de alimento, a rotina das equipes é composta por uma série de atividades técnicas que visam, sobretudo, a boa qualidade dos produtos ofertados. Somado a isso, a parte administrativa também caminha com o mesmo cuidado, a fim de garantir que os itens estejam sempre dentro do parâmetro legal para consumo.

Quem vive esse cotidiano diariamente sabe o quão minuciosos são os processos. E mesmo cumprindo à risca todas as regras, quando os órgãos de fiscalização batem à porta, é normal surgir algum receio de, por ventura, algum detalhe ter passado despercebido e resultar em uma autuação.

Mas antes de qualquer temor, precisamos entender quais são os órgãos que podem ser, de fato, autores de fiscalização. É preciso atentar que existem vários tipos de fiscalização, de ordens administrativa e criminal, mas que têm como objetivo proteger: a saúde pública, os direitos de consumo, os pesos e medidas corretos, os crimes na relação de consumo, os direitos gerais do consumidor e a saúde vinculada aos produtos de origem animal.

“Ao receber a visita, é preciso entender qual é a finalidade dela. Se é isolada, se faz parte de operações especiais ou se estão integradas a uma rotina periódica do órgão”, salienta Luiza Crozariol Campos, diretora da Qualisan Consultoria.

Para isso, a Qualisan listou algumas das incumbências dos órgãos, para facilitar o entendimento do processo de fiscalização:

À Vigilância Sanitária, cabe a verificação nas boas práticas de manipulação de alimentos, que garantem o consumo adequado e a saúde pública. Já ao Procon fica a prerrogativa de analisar o cumprimento dos direitos do consumidor, assim como o Instituto de Peso e Medidas (Ipem), ligado ao Inmetro, que valida se as quantidades informadas em embalagens estão corretas. Aos municípios que contam com o Serviço de Inspeção Municipal (SIM), cabe ainda a verificação da segurança alimentar dos produtos de origem animal.

Qualquer tipo de infração detectada pelos órgãos acima resulta na abertura de um processo administrativo, que pode resultar em autuação e pagamento de multas, além da regularização imediata dos erros apontados.

Já na esfera criminal, as inconformidades podem ser detectadas pela Polícia Civil, que considera crime episódios como a incompatibilidade tributária e econômica, mas também contra a relação de consumo, como por exemplo a venda de produtos impróprios, sejam eles vencidos, violados ou adulterados. Essa última ocorrência se configura como flagrante e, em alguns casos, resulta em prisão dos responsáveis técnicos e/ou gerentes e funcionários do local. “Há, ainda, a fiscalização que pode ser feita por meio de determinações do Ministério Público, que em defesa da coletividade pode ordenar a investigação de determinados comércios por meio de ações civis públicas”, explica Luiza.

Portanto, assim que for realizada a vistoria e em caso de detecção de alguma irregularidade, a orientação da Qualisan é para que procure sempre a equipe de apoio, seja para a apresentação e conferência dos documentos a serem apresentados ou seja para o planejamento de ações a serem adotadas visando a conformidade dos erros apontados.

Os técnicos da Qualisan Consultoria prestam a assessoria necessária para que o estabelecimento siga com suas atividades de maneira segura, em relação à saúde pública e às regras administrativas. Para saber mais, entre em contato com a nossa equipe!

 

Mudanças no PPRA com o eSocial

By | Dica técnica, Legislação | No Comments

Programa de Prevenção de Riscos Ambientais se torna um dos fatores indispensáveis para adequação às novas regras

Este ano, o eSocial, iniciativa do Governo Federal para otimizar o recebimento de informações relativas aos trabalhadores, passou a vigorar. Com isso, algumas mudanças na forma de comunicação foram adotadas e nós da Qualisan Consultoria reforçamos a necessidade de atenção para duas delas, relacionadas à Segurança do Trabalho e que trazer alterações para o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA).
Vale lembrar que o PPRA tem em sua essência a prerrogativa de estabelecer uma metodologia que garanta a saúde e integridade dos trabalhadores, diante do monitoramento dos riscos físicos, químicos e biológicos existentes no ambiente de trabalho.
Pelo eSocial, as empresas devem tabular na plataforma a avaliação dos ambientes de trabalho (refere-se ao posto onde ocorre a atividade) e detalhar quais são os fatores de riscos presentes no local. Mais adiante, o empregador deve descrever as condições deste ambiente laboral, como as atividades desempenhadas, quais equipamentos de proteção coletiva e individual são utilizados, tudo isso com base no que o PPRA da empresa estabeleceu.
Ainda haverá espaço para detalhamento da exposição do trabalhador aos fatores de risco, apontando informações como a intensidade ou a concentração da exposição e a técnica utilizada, bem como o uso de EPI e EPC e se os mesmos são eficazes. Caso haja ausência de fatores de riscos, é possível optar pela “ausência de fator de risco” na hora de abastecer o sistema online.
A elaboração e implantação do PPRA são obrigatórias para empregadores e instituições que tenham pelo menos um funcionário em regime de CLT. Portanto, as empresas contratantes devem se adequar ao Programa, de acordo com suas próprias características e complexidade.
O ponto fundamental da nova regra, com a vigência do e-Social, é que o PPRA agora deve estar sempre em dia e atualizado, independentemente de qualquer cobrança por parte da fiscalização, pois as informações que fazem parte do PPRA terão que ser lançadas diretamente no sistema eletrônico, e as multas para quem não cumprir a regra são muito altas, perto de R$ 3.000,00 (três mil reais) por funcionário.

Cronograma do PP

Programa Paulista de Análise de Alimentos finaliza coletas de 2018

By | Sem categoria | No Comments

O ano está terminando mas quem trabalha no setor alimentício ainda pode receber visitas de técnicos do Programa Paulista de Análise Fiscal de Alimentos. Neste mês de novembro, itens como azeite de oliva, sal, café torrado e moído, páprica, cogumelos, água mineral, entre outros, serão coletados de forma aleatória em vários municípios. É por isso que a Qualisan Consultoria Sanitária alerta seus clientes para a importância de estar sempre em dia com as normas para evitar penalizações.

“Super e hipermercados, mercearias, quitandas, peixarias, docerias e lojas de suplementos alimentares estão entre os estabelecimentos que ainda podem ser visitados neste ano”, diz o diretor da Qualisan Consultoria, Daniel de Freitas Souza Campos. São esses locais que vendem os itens monitorados neste segundo semestre pelo programa. Os produtos são:

– água mineral

– azeite de oliva extra virgem

– café torrado e moído

– cogumelo em conserva

– filé congelado de peixe Polaca do Alasca

– filé congelado de peixe de água doce ou salgada

– leite UHT

– óleo de peixe

– paçoca, amendoim e pé de moleque

– páprica, sal iodado

– sal rosa do Himalaia

– vegetais folhosos minimamente processados.

Criado em 1995, o Programa Paulista de Análise Fiscal de Alimentos é realizado pelo Centro de Vigilância Sanitária (CVS) e o Instituto Adolfo Lutz (IAL) como forma de garantir a segurança alimentar dos consumidores. Entre os objetivos do chamado “PP” está monitorar a qualidade sanitária dos produtos alimentícios expostos no comércio, assim como a qualidade sanitária dos estabelecimentos; aplicar a legislação sanitária e identificar setores do comércio ou da indústria de alimentos que precisam de intervenção preventiva.

Todos os anos, os órgãos envolvidos no trabalho determinam quais produtos devem ser monitorados. Os critérios para essa escolha são os potenciais riscos à saúde, amplitude do consumo – ou seja, participação nos hábitos alimentares da população – além de produtos incluídos nos programas de monitoramento da ANVISA, como o Programa de Análise de Resíduos Agrotóxicos em Alimentos.

“O Programa Paulista é uma importante ação que já se encontra consolidada no Estado de São Paulo e que todos os anos revela algumas surpresas, indicando produtos que contém contaminantes ou substâncias proibidas, que passam então a ser objeto de um controle mais rigoroso. É uma ótima ação de saúde pública”, finaliza Campos.

Franquia da Qualisan em Bauru revela potencial de cidades do interior para serviços de consultoria sanitária

By | Sem categoria | No Comments

Da esquerda para direita na imagem acima: Marcelo, encarregado do açougue da loja Sta Edwiges da rede Panelão; Gabriel Lourenzo, franqueado Qualisan de Bauru, e Renato, gerente da loja, que em breve estará operando com registro no Serviço de Inspeção Municipal (SIM)

Referência em consultoria sanitária, a Qualisan já conta com franqueados que levam os serviços de excelência da empresa a várias regiões do país, sendo a unidade de Bauru, no interior de São Paulo, uma das mais recentes. Por lá já são cerca de 40 clientes em atendimento continuado, um resultado expressivo para a franqueada que começou as atividades há apenas seis meses, em abril deste ano.

Segundo o responsável pela unidade, Gabriel Lourenzo, a procura pelos serviços surpreende em especial no setor supermercadista. “Mesmo com toda a dificuldade econômica que vivenciamos, o trabalho de consultoria sanitária está em crescimento no setor varejista e isso promove uma melhoria contínua dos nossos processos dentro dos supermercados”, destaca.

Lourenzo revela que é médico veterinário especialista em Agronegócio e Mestre em Produção Agropecuária Sustentável. Com atuação na área de produção de bovinos de corte e leite, ele conheceu a Qualisan há apenas um ano. “Fui consultor e responsável técnico da Qualisan em três lojas de uma grande rede de supermercados da região. Foi quando percebi o potencial do negócio e decidi investir na franquia, com ótimos resultados”, salienta ele, acrescentando que também tem – entre os principais clientes – restaurantes, padarias e hotéis.

O diretor da Qualisan, Daniel de Freitas Souza Campos, ressalta o setor hoteleiro como mais um segmento em que a franquia de Bauru concentra importantes atendimentos de excelência. . “A unidade também vem desempenhando importante papel no auxílio a regularização de empresas junto aos serviços de inspeção de produtos de origem animal dos municípios das região, proporcionando às empresas a obtenção do selo SIM das cidades atendidas, para a livre circulação dos produtos de origem animal”, diz.

A Qualisan de Bauru é constantemente apoiada pela equipe da franqueadora, com treinamentos, orientações e até visitas conjuntas para que o nível técnico dos serviços seja sempre elevado. “A capacitação na área comercial da franquia por parte da Qualisan também foi essencial, já que é algo não muito trabalhado pelas empresas do ramo mas que representa nada menos do que coração de qualquer negócio próspero, como o nosso”, finaliza Lourenzo.

Para saber mais sobre as franquias da Qualisan, clique aqui.

Food Defense: proteção alimentar contra alterações intencionais e sabotagem

By | Sem categoria | No Comments

Esta semana o mundo se chocou com o recente caso de morangos australianos que estavam sendo alvo de sabotagem, com agulhas em seu interior. Do incidente, um garoto foi preso por ser autor da “brincadeira”. Uma “pegadinha” que, no entanto, envolveu as autoridades de segurança pública australiana e comprometeu o comércio de morangos australianos até mesmo nos países vizinhos, como a Nova Zelândia, que interrompeu a importação da fruta.

Isso sem contar, evidentemente, os danos aos consumidores, já que o episódio pode ser considerado um alerta à saúde pública daquela região.

Neste sentido, volta à pauta o protocolo de medidas que as indústrias alimentícias podem adotar contra esse tipo de sabotagem. Trata-se de um conjunto de normas destinadas à food defense (defesa alimentar), que corresponde ao segmento que rege as ações preventivas contra, entre outras coisas, sabotagem, terrorismo, entre outros fatores que de maneira intencional prejudicam o produto final.

O diretor da Qualisan, Daniel de Freitas Souza Campos, salienta que casos de sabotagem podem ser evitados e minimizados com eficientes programas de Food Defense. Nele, além de determinar o nível de segurança física que deve ser adotado por cada empresa (considerando suas ameaças e vulnerabilidades), também é possível avaliar e assegurar se todos os procedimentos padrões estão sendo seguidos.

Isso significa, por exemplo, estabelecer programas que considerem desde as edificações e instalações da indústria (sistemas de entrada e saída, abastecimento de água, telhados e circulação de funcionários), até o transporte dos produtos (lacres, identificação dos lotes, estoques, temperaturas aos quais são submetidos, entre outros fatores).

Fazem parte do rol de ações em prol do Food Defense as capacitações de colaboradores, incluindo as inspeções técnicas periódicas. “O treinamento em food defense é importante para que os próprios funcionários identifiquem as situações de vulnerabilidade e atuem preventivamente”, aponta.

Ainda de acordo com Campos, considerar os meios tecnológicos como forma de obter mais segurança de informações também é válido. “Os softwares somam com o controle de todo o processo, aumentando o domínio sobre a cadeia produtiva e a distribuição, minimizando as chances de sabotagem”, pontua.

Outro aspecto que o diretor da Qualisan também alerta para que as empresas não menosprezem, é a auto-inspeção. “Analisar se os processos estão ocorrendo dentro da conformidade é algo que nunca deve ser desprezado”, destaca. Quanto mais uma empresa se dedicar a checar os procedimentos em andamento dentro de suas instalações, preferencialmente através de equipe interna e complementação externa, maior será o nível de segurança alcançado.

Consultoria para hotéis: Qualidade garantida pela Qualisan

By | Sem categoria | No Comments

Serviço alia segurança para setor de hotelaria também para os hóspedes; segurança alimentar é o foco dos trabalhos

 

Quem conhece o trabalho da Qualisan para restaurantes, lanchonetes e demais estabelecimentos comerciais que trabalham com alimentos sabe a rotina que é adotada para que os produtos oferecidos estejam sempre próprios para o consumo. As equipes vistoriam periodicamente os locais para conferir se todo o processo está feito em conformidade com a legislação vigente: desde a manipulação dos produtos in natura até a oferta dos alimentos no buffet.

No segmento de Hotelaria, a Qualisan também se faz presente. Como a maioria dos hotéis possui cozinha 24 horas e, em certos casos mais de dois turnos de funcionários, a Qualisan amplia essa rotina de visitação com maior tempo de permanência da equipe no local, assim como as visitas ocorrem também com maior frequência.

A responsável pela Qualisan de São José do Rio Preto, Flávia Zanetta, explica que para o serviço a hotéis, a rotina é estritamente focada na segurança alimentar. “Nossa equipe de sanitaristas acompanha desde recebimento de mercadorias, estoque, limpeza e higiene de colaboradores, equipamentos, áreas. E também cuidamos para que a temperatura de todos os alimentos esteja sempre na ideal, para se ter alimentos que não sofram danos e se deteriorem. Além disso, aplicamos os treinamentos teóricos periodicamente com as equipes de cada hotel”, destaca.

Por isso, a partir da contratação dos serviços da Qualisan, o hotel passa a ter extrema segurança em sua produção dos alimentos, que são servidos aos hóspedes. “Devido à grande quantidade de pessoas que passam pelos hotéis diariamente (cuidamos de hotéis que chegam a receber 900 hóspedes por dia), o controle sanitário deve ser rigoroso, de qualidade e feito por profissionais como os que temos na Qualisan, que são nutricionistas especializadas em Vigilância Sanitária”, diz.

Para isso, os fraqueados contam com o apoio da Matriz da Qualisan, que cuida para que a equipe receba constantemente treinamentos, apoio e qualificação. “Com essa segurança, podemos passar a máxima segurança para quem nos contrata”, pontua.

O resultado de tudo isso é um melhor serviço ofertado e a tranquilidade por parte do hóspede, que tem a garantia de que se o hotel é cuidado pela Qualisan, ele pode se sentir amparado. Saiba mais com as nossas equipes!

 

Assessoria para supermercados: serviço de excelência prestado pela Qualisan

By | Serviços Qualisan | No Comments

WhatsApp Image 2018-08-13 at 5.13.49 PM          WhatsApp Image 2018-08-13 at 5.13.33 PM

 

Muita gente associa a consultoria sanitária prestada pela Qualisan a estabelecimentos como restaurantes e lanchonetes. Mas você sabia que esse serviço é igualmente importante e necessário também para comércios varejistas e atacadistas?

A consultoria para supermercados abrange todo o treinamento de funcionários, implantação de procedimentos obrigatórios pelos órgãos de Vigilância, além de visitas técnicas que realizam a verificação de conformidades e inconformidades nas lojas. “Os serviços variam de acordo com cada cliente, mas o suporte dado pela equipe de profissionais é principalmente importante para os supermercados que comercializam produtos próprios, em setores como Rotisseria e Padaria”, exemplifica o diretor da Qualisan, Daniel de Freitas Souza Campos.

Com as visitas rotineiras da equipe, o resultado, a longo prazo, é uma diminuição significativa de notificações e até autuações emitidas pelos órgãos de fiscalização. Isso porque a assessoria garante que o serviço prestado esteja sempre de acordo com as regras vigentes. “Ao receber as visitas da Qualisan, as boas práticas na manipulação de alimentos estarão sempre em dia, garantindo mais qualidade e satisfação aos seus próprios clientes consumidores”, define Campos.

Somado à segurança sanitária que o serviço traz consigo, alguns outros benefícios também são notados durante o trabalho, como a redução de desperdício, diminuição de ações de indenização por parte de consumidores e até mesmo o recebimento de elogios por parte dos clientes, que se deparam sempre com produtos apropriados para o consumo, feitos dentro de um ambiente igualmente adequado.

“Temos clientes que, ao iniciarem o trabalho com a Qualisan, tinham altíssimos índices de reclamações por parte de consumidores e recebiam visitas frequentes da fiscalização sanitária, que aplicava multas e até chegava a interditar o estabelecimento. Com o passar das semanas, sob acompanhamento da Qualisan, estes fatos deixam de ocorrer”, conta Campos.

Quer saber mais sobre a assessoria para supermercados? Entre em contato com a nossa equipe. Estamos no (11) 2378-0813.